Desabafo Social escancara a invisibilidade de negros(as) em bancos de imagens

0
462
views

A iniciativa baiana Desabafo Social lançou uma campanha que questiona – e convida para o diálogo – grandes bancos de imagem do mundo: Getty Images, Shutterstock, Depositphotos e iStock Photos. Você já pesquisou por fotos em algum desses bancos? O Desabafo Social também. E os resultados encontrados mostram um problema muito sério, que dá margem, inclusive, para a interpretarmos que as empresas que prestam o serviço de venda de imagens de seus bancos possam estar praticando racismo institucional e uma violência simbólica com a população negra.

Por meio de uma série de vídeos que retratam um experimento de busca nos bancos, é possível perceber que ao se pesquisar termos como ‘família’, ‘pessoa’, ‘bebê’ e ‘pele’, os resultados que aparecem são, em sua esmagadora maioria, fotos de famílias brancas, pessoas brancas, bebês e gente com pele branca. Para que mais resultados com pessoas negras apareçam, é sempre preciso digitar a palavra ‘negra’ na hora de realizar a busca.

No mínimo incoerente, essa situação. Afinal, se a expressão buscada é ‘família’, o ideal é que fossem exibidas imagens de famílias, dos mais variados tipos, etnias, orientaçãoes sexuais, arranjos e com quantidades de integrantes diversas, por exemplo. No entanto, os experimentos do Desabafo Social revelaram que ao buscarmos por ‘família’, por exemplo, o padrão é que surjam imagens que representem grupos familiares essencialmente brancos, como se essa fosse a ‘regra’, o tipo de família considerado ‘normal’ e que as famílias negras fossem uma excessão, ou um tipo familiar muito ‘específico’, ‘exótico’, ‘raro’.

“Estamos chamando os bancos de imagem para uma conversa para ver como podemos melhorar essa situação. Sabemos que é um problema globalizado, está por toda a internet, mas se cada um fizer sua parte, é possível mudar essa realidade”, afirma Monique Evelle, 22 anos, ativista e criadora do Desabafo Social. Monique já foi eleita como uma das 25 mulheres negras mais influentes da internet brasileira segundo o Blogueiras Negras, e uma das Mulheres Inspiradoras 2015, segundo o Think Olga. Também foi palestrante do TEDx São Paulo e Rio Vermelho em 2016. Recentemente foi apontada pela Revista Forbes Brasil como uma das personalidades de destaque abaixo dos 30 no país.

Assista aos vídeos da campanha logo abaixo. E se você quiser assistir às versões em inglês da campanha, pode acessar o canal de Youtube do Desabafo Social. #buscapor igualdade

DEIXE UMA RESPOSTA